Porto do Recife

Recife, 24 de agosto de 2017

Menu

Porto Novo

PORTO NOVO > Projetos Porto Novo e Porto Novo Recife

Conheça os projetos


Os projetos Porto Novo (iniciativa pública) e Porto Novo Recife (iniciativa privada) são grandes obras, nas quais o Porto do Recife, através do Governo de Pernambuco e da iniciativa privada, devolvem à cidade espaços antes dedicados à operação portuária. Um grande projeto de requalificação e reurbanização de áreas nobres que vão dialogar e enriquecer as opções de lazer, cultura, comércio, arqueologia e turismo do Bairro do Recife. Armazéns reformados e novas obras abrigam o Centro de Artesanato de Pernambuco, o Cais do Sertão Luiz Gonzaga, o Terminal Marítimo de Passageiros, com a sala Pernambuco integrada a ele, escritórios, restaurantes, bares, lojas de entretenimento e pontos comerciais. Nos novos espaços também serão construídos um hotel, uma marina internacional, um centro de convenções, e também a reurbanização de todo o entorno desses equipamentos. 

Porto Novo

- Centro de Artesanato de Pernambuco - hoje dispensa apresentações por ter se configurado como um sucesso de público e crítica. A reforma e as novas intervenções transformaram o antigo armazém portuário em uma grande loja para a exposição e venda do mais qualificado artesanato produzido no Estado, seguindo os rigores para a preservação da história do imóvel, construção eco-eficiente e curadoria na seleção das peças a serem expostas agradou especialistas do tema e visitantes interessados em artesanato. O Centro possui um restaurante-bar com vista aberta para o mar, espaço para exposições e um pequeno auditório.  

- Cais do Sertão Luiz Gonzaga - Construído no local do antigo Armazém 10 do Porto do Recife, o Centro Cultural e Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga retoma a profecia de Antônio Conselheiro: a união do mar e do Sertão nordestino tendo como moldura um dos projetos arquitetônicos mais arrojados atualmente em curso no País. Assinado pela Brasil Arquitetura, escritório fundado em 1979, em São Paulo, e responsável pelo Museu Rodin (BA) e a Praça das Artes (SP), o projeto do Cais do Sertão transforma os 7.500 m2 de área construída em uma experiência de imersão na cultura popular nordestina.  

O centro cultural e museu estão divididos em duas edificações – Módulo 1 e Módulo 2. No Módulo 1 será instalado o museu, uma estrutura em concreto armado, com coberturas metálicas, mantendo as características do armazém originalmente existente no local. No interior do Módulo 1, dividindo os espaços, um sulco tortuoso no piso, preenchido por seixos e com iluminação especial, representa o Rio São Francisco. Uma estrutura metálica em forma elíptica revestida de chapas de aço, o Útero, chama a atenção pelas suas dimensões. Também foram projetados mezaninos de concreto armado, com grandes vãos livres e balanços de modo a manter o nível térreo o mais aberto possível, já que será utilizado como área de exposições.

O Módulo 2 também tem forma simples, porém uma estrutura ainda mais sofisticada. Um vão livre (concreto protendido) libera a vista para o oceano, nos seus 56 metros de extensão, de viga a viga, e seis metros de pé-direito. Quando finalizada, esta será uma das maiores estruturas do gênero no Nordeste, comparável, em espaços expositivos, ao vão livre do Museu de Arte de São Paulo (MASP), que tem cerca de 70 metros.

 - Terminal Marítimo de Passageiros - Dentro do espaço do Porto do Recife, no antigo armazém sete, mais ao norte, o Terminal Marítimo de Passageiros, com a Sala Pernambuco, estabeleceu um novo padrão ao embarque, desembarque e trânsito de passageiros, quando da presença de navios de cruzeiro. O terminal é comparável ao saguão de modernos aeroportos e a sala Pernambuco, integrante do mesmo, um espaço comercial e gastronômico para que os turistas, em passagem pelo Estado, conheçam parte de nossas atrações em pouco tempo
O projeto Porto Novo analisou as reintegrações bem sucedidas de áreas portuárias, como a Estação das Docas, em Belém, no Pará, e o Puerto Madero, em Buenos Aires, Argentina e fez ajustes no que achou interessante para adaptar-se ao Porto do Recife e, para tanto, fez um estudo preparatório, o qual observou as falhas, adaptou a realidade de outras cidades à capital pernambucana e pautou-se em captar o que é do interesse da nossa realidade e aperfeiçoar o que pode ser melhorado.

Porto Novo Recife

A transformação dos antigos armazéns de cargas é uma obra de impacto econômico e urbano. Os sete antigos armazéns (armazéns 9, 12, 13, 14, 15, 16 e 17) serão reformados para abrigar escritórios, restaurantes, bares, lojas de entretenimento e pontos comerciais. Nos novos espaços também serão construídos um hotel, uma marina internacional e um centro de convenções. 

De acordo com a licitação, cada armazém deverá cumprir uma função. O armazém 9 deve ter a implantação, manutenção e exploração comercial de escritórios para desempenho de atividades comerciais compatíveis com o plano de desenvolvimentos da cidade. Serão escritórios modernos, com central de ar-condicionado eco-eficiente, gerador próprio de eletricidade, controle de acesso seguro e informatizado, circuito fechado de tevê e vagas com garagem privativas para todas as unidades.

Os armazéns 12, 13 e 14 vão ter restaurantes, bares, lojas de entretenimento e comerciais, espaços para exposições e eventos fechados. O armazém 15 terá hotel ou apartamentos de longa estada, com no mínimo 200 unidades, em padrão igual ou superior a três estrelas. O estabelecimento deverá ter restaurantes, lojas, bares, salas de reunião, piscina, academia de ginástica e número de vagas de garagem compatível. Os armazéns 16 e 17 terão centro de convenções integrado ao hotel, com capacidade mínima para quatro mil pessoas, com espaços modulares, para possibilitar o maior número de eventos possíveis. 

Movimentação

No momento

06navios atracados no porto público

06navios atracados

Toneladas em operação

268.520no último trimestre

899.271neste ano

Tábua de marés

Em manutenção.

Vídeo Institucional